01_ Listada no Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBovespa desde 2007, a SulAmérica aprimora constantemente seu diálogo com o mercado de capitais

Saúde e Odontológico Aquisição da Dental PLAN, lançamento de produtos e ampliação da certificação digital. + Saiba Mais
Automóveis Aumento da capilaridade, novos produtos e melhorias em precificação e gestão de sinistros. + Saiba Mais
Ramos Elementares Aprimoramento da política de aceitação de riscos e lançamento de novos produtos. + Saiba Mais
Pessoas (Vida e Previdência) Lançamento do Portal "Previdência Sem Blá Blá Blá" e adoção de novas tábuas atuariais. + Saiba Mais
Gestão de Ativos R$ 19,6 bilhões de ativos sob gestão, com classificação AMP-1 Muito Forte da S&P. + Saiba Mais

Preço de Fechamento e Volume Mensal (em R$ ) – UNIT

Composição acionária ao final de 2011


Acionistas Ações % Units
Sulasapar Participações S.A. 277.088.635 32,835% -
ING Insurance International B.V. 178.758.930 21,183% 59.586.309
Pessoas Físicas do Controle 56.574.393 6,704% 18.858.129
Conselheiros e Diretores 448.415 0,053% 149.469
Ações em Circulação 317.564.367 37,631% 105.808.237
Tesouraria 13.453.053 1,594% -
Total 843.887.793 100% 184.402.144
Em dezembro de 2011, a SulAmérica integrava as carteiras dos seguintes índices da BM&FBovespa:

Transparência e desempenho reconhecidos

A SulAmérica tem suas ações negociadas na BM&FBovespa sob o código SULA11 na forma de units (cada unit equivale a uma ação ordinária e duas ações preferenciais). A Companhia está listada no Nível 2 de Governança Corporativa e suas units integram a carteira de nove índices da BM&FBovespa

O desempenho das units da SulAmérica apresentou desvalorização de 27,4%, encerrando o ano cotadas a R$ 15,10 e resultando no valor de mercado de R$ 4,2 bilhões em 31 de dezembro de 2011. O Ibovespa também apresentou desvalorização, com queda de 18,1% no ano.

A Companhia realizou dois non deal roadshows (um no Chile e outro nos Estados Unidos) e um SulADay em Nova York (EUA) e participou de 18 conferências no Brasil e no exterior. Também promoveu sete reuniões públicas em conjunto com a Apimec em várias cidades brasileiras, além de uma edição especial na unidade C.A.S.A. Bandeirantes, em São Paulo.

Como consequência do relacionamento transparente com o mercado, a SulAmérica recebeu o reconhecimento de publicações e entidades setoriais ao longo do ano.

No ano, as agências de classificação de risco Fitch Ratings e Standard & Poor’s (S&P), que avaliam periodicamente a SulAmérica desde 2007, fizeram revisões de seus ratings para a Companhia.

A Administração da Companhia encaminhou à Assembleia Geral Ordinária uma proposta de distribuição do resultado que contempla o pagamento de remuneração aos acionistas de R$ 211,7 milhões, equivalentes a 50% do lucro líquido total do exercício de 2011. Os valores relativos à remuneração aos acionistas estão disponíveis no site de RI.

No último trimestre de 2011, a SulAmérica iniciou o processo para a primeira emissão de debêntures realizada por uma seguradora brasileira. A operação foi concluída em fevereiro de 2012 e obteve classificação de risco brAA (Escala Nacional Brasil) pela Standard & Poor’s e AA- (rating nacional preliminar de longo prazo) pela Fitch Ratings.

topo