01_ Destaques 2011: o aperfeiçoamento da política de aceitação de riscos e a metodologia de precificação adotadas pela Companhia possibilitaram a melhoria do desempenho operacional

Saúde e Odontológico Aquisição da Dental PLAN, lançamento de produtos e ampliação da certificação digital. + Saiba Mais
Automóveis Aumento da capilaridade, novos produtos e melhorias em precificação e gestão de sinistros. + Saiba Mais
Ramos Elementares Aprimoramento da política de aceitação de riscos e lançamento de novos produtos. + Saiba Mais
Pessoas (Vida e Previdência) Lançamento do Portal "Previdência Sem Blá Blá Blá" e adoção de novas tábuas atuariais. + Saiba Mais
Gestão de Ativos R$ 19,6 bilhões de ativos sob gestão, com classificação AMP-1 Muito Forte da S&P. + Saiba Mais

Composição dos Prêmios em Ramos Elementares – 2011


Como empresa seguradora, a SulAmérica monta seu banco de dados a partir do preenchimento da apólice e o setor de atuação e porte das empresas clientes não são dados solicitados.

Em 2011, os prêmios do segmento de ramos elementares registraram R$ 494 milhões, 7,2% acima do ano anterior. Esse crescimento se deve ao incremento dos prêmios nos ramos de transportes (7,4%), massificados (4,6%) e responsabilidade civil geral (89,3%), que representaram 55,7% do total da carteira do segmento.

Em 2011, a SulAmérica lançou novos produtos e iniciou a reestruturação da sua política de precificação nesse segmento, visando oferecer aos seus clientes produtos mais competitivos, que atendam a demanda do mercado.

O aperfeiçoamento da política de aceitação de riscos e a metodologia de precificação adotadas pela Companhia possibilitaram a melhoria do desempenho operacional em 2011. A sinistralidade do segmento de ramos elementares alcançou 54,3%, a mais baixa desde a abertura de capital da SulAmérica em 2007.

Em 2011, o índice de custos de aquisição foi de 21,2%, em linha com o ano anterior, e o índice de margem bruta foi de 24,5%, 2,6 p.p. acima de 2010.

O segmento de ramos elementares massificados foi o mais atingidos pelos eventos climáticos extremos. Foram registrados em 2011, 1.565 sinistros em consequência desses eventos, totalizando mais de R$ 4,4 milhões em indenizações, que representaram 22.7% do total da carteira de massificados.

topo